Imprimir essa página

Fraudes financeiras: aprenda como se prevenir!

A maioria das empresas, independentemente do tamanho ou do segmento de atuação, já experimentou pelo menos uma vez o sabor amargo de ser vítima de alguma fraude financeira. Na ponta do lápis, nada menos que R$ 2,3 bilhões foram perdidos em 2013 no Brasil com fraudes financeiras, incluindo golpes, roubo de identidade, movimentações bancárias e transações de comércio eletrônico.

Mais do que nunca, é imprescindível se prevenir contra esses desfalques que, em casos mais extremos, podem até levar à falência da empresa, afinal, o investimento em prevenção é sempre muito menor do que a perda causada por uma fraude.

Em nosso post de hoje, aprenda o que deve ser feito para evitar cair em fraudes financeiras!

 

De onde vêm as fraudes financeiras

As principais tentativas de fraude no Brasil atualmente são relativas a:

 

Emissão de cartões de crédito

Atualmente, muitas pessoas possuem cartões de crédito com valores pré-aprovados. Aproveitando-se disso, os golpistas se utilizam de documentos falsificados para emitir cartões e gastar à vontade.

 

Compra financiada de bens

Mesmo na situação econômica atual, ainda é fácil aprovar crédito no Brasil, independentemente das taxas de juros. Isso, no entanto, atrai a atenção de golpistas, que se utilizam desse financiamento para comprar, principalmente, dispositivos eletrônicos.

 

Transações bancárias

Por mais que os ambientes on-line dos bancos adotem mais etapas de segurança, golpistas ainda se aproveitam de situações, como o roubo de um celular para realizar golpes em transações financeiras.

 

Compra de automóveis

Mesmo com a exigência de reconhecimento de firma por presença, ainda é um dos maiores índices de fraude financeira no Brasil.

 

Abertura de empresas de fachada

Essa empresa costuma ser aberta apenas para aplicação de golpes no mercado, como pirâmides financeiras, que recrutam representantes comerciais para uma linha de produtos prometendo recompensas caso estes recrutem novos representantes.

Para realizar a fraude, o golpista se utiliza de documentos falsificados ou roubados, geralmente, logo nos primeiros dias depois do roubo, antes que sejam reportados à Delegacia.

 

Os principais canais

Embora ainda seja comum a fraude realizada presencialmente, nos últimos anos se tornou muito mais fácil aplicar golpes à distância, seja pela internet ou por atendimentos via call center. O golpista, sabendo que não é possível comparar sua fisionomia à da foto que consta no documento que está apresentando, se aproveita da situação para realizar a fraude.

 

Como se prevenir

Gestores de call centers sabem que precisam de cuidado redobrado em qualquer chamado que envolva transações financeiras. E, por conta disso, algumas práticas são imprescindíveis, como:

Utilizar uma solução de prevenção a fraudes. Há diversas opções disponíveis no mercado, ajudando a identificar golpistas antes que seja realizada a transação;

Ter um código de conduta na empresa, focado em boas práticas e procedimentos obrigatórios, por parte do operador, para reduzir a chance de golpes;

Utilizar equipamentos de gravação telefônica, registrando todas as chamadas, como evidências da transação financeira.

A gravação telefônica é o ponto de partida para qualquer investigação de fraude. Da mesma forma que uma câmera em uma loja física, no contact center, muitas vezes a gravação telefônica é a única prova da "presença" do golpista e de sua atuação durante a fraude, podendo ser útil até na sua identificação e localização.

Além disso, análises de fraudes gravadas auxiliam no estudo e prevenção de novas fraudes, ao identificar padrões de comportamento dos golpistas.

Conhece outras formas de prevenir fraudes financeiras? Compartilhe com a gente a sua experiência no assunto!

 

Os gravadores telefônicos da Vox Soluções é utilizado pelos maiores bancos do Brasil. Conheça mais aqui.